segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Parecem Farpas...





Mas tantos defeitos tenho.
Sou inquieta, ciumenta, áspera, desesperançosa.
Embora amor dentro de mim eu tenha.
Só que não sei usar amor: às vezes parecem farpas.

18 comentários:

Sil disse...

Sei como é..

Sou um pouco assim tb...

=\

Bjos

Você em Pauta disse...

Por isso que acredito que odiar tambem é uma forma de amar!

Rosa Canela disse...

Tb entendo o quanto as vezes mesmo amando é dificil ser um doce e viver esta felicidade estampada ...o amor tem várias formas e caracteristicas..

Beijos

Rosa Canela

Roberta disse...

Definitivamente, eu também não sei usar amor...

Lindas palavras!
bjão!

whatever u like disse...

parece mas não é...

comigo tb é assim, não sou muito boa em "usar amor" :/

beijos e abraços

Déia disse...

Poxa!

Acho q basta um pequeno ajuste... e se parar de receber farpas, vai parar de dar farpas tb!
To certa disso!

bj

Giane disse...

De quando em quando até o melhor dos sentimentos pode soltar algumas faíscas.
Afinal, o aço, o diamante passam por temperaturas extremas para tornarem-se a melhor lâmina, a pedra mais rara respectivamente.
E porque não o Amor?

Beijos mil, Fabi!!!

JEANSECAMISETA disse...

Li o post e me senti tããão normal...Rsrsr
Gostei do seu blog! Virei mais vezes.
Bjim

Mariah disse...

as vezes parecem farpas. outras vezes parecem travesseiro que nos afoga. ou tapete mofado. pode parecer também grades de uma cela ou muros de uma fortaleza. o amor é egoísta.

Ana disse...

Farpas pra ter efeito devem ser bem direcionadas.

Com amor não é muito diferente.

Bjs.

Tina disse...

Eu também. Eu também...

beijos,

*** Cris *** disse...

Isso é mais normal do que você imagina.
Espero que esteja bem.
Bjs!

Cor de Rosa e Carvão disse...

Guria, isso é auto defesa. Mas quando relaxar e esse amor todo fluir pra fora do teu corpo, verás, que será só carinho. Bjocas

EDUARDO POISL disse...

"No fim tu hás de ver que as coisas
mais leves são as únicas que o vento
não conseguiu levar:
um estribilho antigo,
um carinho no momento preciso,
o folhear de um livro de poemas,
o cheiro que tinha um dia
o próprio vento"

(Mário Quintana)


Desejo um lindo dimingo com muito amor, paz e carinho.
Abraços com todo meu carinho.

Rosana disse...

esta com saudades daqui... voltei...
e amar esta dificil... mas na hora certa acontece!! espero...
beijooo

Luciana Klopper disse...

Tem um presentinho no blog pra quem fez a diferença na minha vida esse ano..e claro vc!

http://olhosepensamentos.blogspot.com/2009/12/neste-ano-voce-fez-diferenca-para-mim.html

Bjs

Ana Laura disse...

Muito bonito o fragmento, mas acho que deveria colocar entre aspas e dizer quem escreveu, que no caso foi Clarice Lispector.

Tatiane Garcia disse...

Muito bom isso !!!!