sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Carta 6

G,

Tenho que lhe escrever hoje para te contar algo... estava deitada, mente vazia e me veio você no pensamento.
Talvez pelo fato de que a cama de solteiro sem você junto ficou gigante. Mas enfim, sua imagem surgiu em pensamentos e o coração começou a bater fora do ritmo habitual.
Tentei lembrar o número do seu telefone e percebi que me esqueci. Perdi um certo tempo tentando trazer a memória e nada.
No principio me assustei, como um número que era fixado na minha mente pode desaparecer assim?
Depois fui me acalmando e pensei: será que acontecerá assim com nossas lembranças também? De um dia para o outro, algo que é tão forte dentro de mim vai desaparecer?
Esse vazio que sua ausência deixou ira sumir e eu que me perdi quando você partiu conseguirei me encontrar novamente?
Será que isso é bom? Será que é ruim?
Não sei responder, também não sei se quero uma resposta.
Suspiros, lágrimas, esboço de sorriso, angústia e saudades.
Que sentimento é esse que sobrou dentro de mim em relação você?
Nostalgia?
Será que é saudade de você ou apenas dos momentos que vivemos juntos, da lembrança de ter alguém ao lado, de um beijo quente, um abraço aconchegante, palavras ao pé do ouvido.
Quando o assunto é você todas as minhas certezas caem por terra. A mulher virá menina. A guerreira fica frágil. A corajosa virá covarde.
Hoje a carta é cheia de interrogações, tantas perguntas sem respostas...
Será que você ainda pensa em mim?
Ainda não me acostumei a não compartilhar o meu dia a dia com você e nem de ouvir você reclamando do seu emprego.
Ainda é difícil acreditar que não existe nós.
Que a distância não é mais apenas geográfica, é física, é emocional é de objetivos.
G, de uma coisa ainda tenho certeza, nossos caminhos ainda se cruzaram e eu vou te olhar nos olhos e vou descobrir o que ainda realmente resta de mim em você. Um olhar será o suficiente.
Palavras não se farão necessárias.
Não sei o dia, não sei a hora.
Mas eu espero, afinal antes de você chegar e mesmo sem te conhecer esperei paciente por você e mais cedo ou mais tarde, nem que for pra colocarmos os "pingos nos is" colocaremos um ponto final nessa história e essas cartas não serão mais necessárias.

Com muito carinho

F.
-------------------------------------------
Domingo tem texto meu sobre INVEJA no MENTES DISCREPANTES, espero vocês lá também.

25 comentários:

Nanda Assis disse...

linda carta, espero que vc nunca deixe apagar dentro do seu coração as lembranças boas.

bjosss...

paula barros disse...

Me parece que algumas histórias ficam sem ponto final e enquanto houver reticências e interrogações não tem fim.

abraços, bom final de semana.

Mai disse...

Primeiro sinal de que o coração terá alta é quando a memória 'panica' e se recusa a fornecer o número do 'perfume'.

Beijos,

Adorei a carta-texto.

Sarinha disse...

eita essa tal de saudade. o coisinha que insiste em machucar..

adoreii o texto!
bjus

Duda Martinez disse...

Oi Fabi! Eu nada sei a respeito de você e do G., nem imagino quanto tempo vocês ficaram juntos e o porque da separação.
Mas, lendo seu post de hoje, me lembrei de alguém que espero reencontar há 28 anos!!! Sim, eu tinha 16 anos, sim eu ainda tenho esperanças em reencontrá-lo.
E, como espero que isso aconteça ainda nessa vida, assim que acontecer, vou fazer um post bem bonito.
Beijo

Anônimo disse...

Ah...graças aos deuses! É pouco, mas já é um começo vc esquecer o número...nada de se esforçar pra lembrar não...
Não canso de repetir: esquece esse menino...ou tente pelo menos.

Bjim
Su

Gabi disse...

As cartas para G são as melhores.

Sisi disse...

Olá adorei seu blog,sua maneira de escrever,virei sempre aqui.
Bjos!!!

Luifel disse...

Moça,

Relacionamtos sempre geram diversas sensações dentro da gte, e parece q esse G. deixou algo muito marcado em vc.

Q fiquem marcadas as boas lembranças!

Bj.

PS: sentindo sua falta visitando meu bloguito!

Thyago David. disse...

leve sempre as lembranças.. ;)

Gostei moça.
Beijos.

Anônimo disse...

acho que só na sua cabeça é que não acabou.sai dessa.

Kari disse...

Sabe... Passei anos com uma estória assim. E sabe como acabou? Com um beijo... Pois é. Como tantos começam, o meu terminou. Mas junto com o beijo, terminou a minha angústia, minha saudade, e minhas interrogações...

Espero que acabe para você também. Com ou sem beijo.

Beijos!

vida cotidiana disse...

É linda, pingos nos is sempre são importantes. Porque histórias sem finais, são histórias que só maltratam o nosso coração. bjs

Mauri Stern Boffil disse...

Que lindo! Quando um amor foi bom, sempre vamos lembrar dele com carinho...

Autor disse...

Lembrei do Cazuza e de Quase um Minuto 'será q vc ainda pensa em mim?'.
E espero ansioso o dia em q vc nao precisará mais dessas cartas.
Bjo, minha amiga!
Te amo!

Rosalynn disse...

Vivo uma situaçõa parecida, é acho horrivel essas historias que não tem um fim, ao menos para mim ainda não teve. Sonho tb com o dia que o encontrarei cara a cara. Enquanto isso vou vivendo, levando, chorando ...

Bjs

Quase Trinta disse...

Apaguei o último comentário e se a pessoa que escreveu que diz ser meu leitor quiser escrever novamente e se identificando eu mantenho o comentário, senão apago novamente....

beijos a todos q passa por aqui

Sammyra Santana disse...

Fabi, adoro ler tuas cartas e "penetrar" nas sua shistórias de amor!
Será que as lembranças caem no esquecim ento assim como os numeros de telefone?
Beijo

Moni disse...

pois é fabi, vc sabe descrever como ninguém seus sentmentos, adoro suas cartas! beijos

lpzinho disse...

Que verginhaaa superFABI, faz anos q eu não comento aqui.
Tb.. com feriadão e depois pré-e-pós deprê afetivo-depreciativa eu tinha mais é q andar sumido do mundo.
E vc se comunicando em cartas com tantas emoções né.. ai..ai.. a vida seria tão mais simples se as pessoas não complicassem demais... aff
Te adoro, admiro e quero sempre bem amiga mais alta!! Bjoooo e saudade!

Alma Nua disse...

...e as cartas continuam.

ridículas ou não,
são cartas de amor.

como bem diz o poeta maior,
Fernando Pessoa.

um bj, amore mio!

Fabi Lima disse...

Amiga, quero tanto que você esqueça esse dito cujo!
Lendo seu texto, me lembrei de algo que uma amiga me disse uma vez, sobre a perda de alguém que ela amava (no caso era o pai, e ele já tinha morrido há uns 20 anos). Foi mais ou menos assim: "um dia eu acordei e busquei na memória a voz do meu pai me dizendo bom dia, como eu fazia todos os dias. E foi então que eu me dei conta de que não conseguia mais me lembrar do som da voz dele. Foi assim, de repente, de um dia pro outro... no início, eu chorei, fiquei triste e inconformada, mas hoje percebo o porquê daquilo ter acontecido: se eu sempre me lembrasse, nunca eu conseguiria deixar a presença dele de fora da minha vida cotidiana - o que me fazia sofrer, já que eu não poderia mais revê-lo. Deixo pra recordar nas horas certas, vendo fotos, contando histórias. A dor não é uma boa lembrança, mesmo quando bonita...".
Quando meu pai morreu, me lembrei do que ela tinha me dito e, embora ainda lembre da voz do meu pai me chamando de "nega" (como se eu não fosse uma branquela! rs), vejo que aos poucos algumas coisas vão sumindo da memória. Não sei se é bom ou se é ruim, só sei que isso faz com que sigamos em frente.
Quem sabe não é um sinal de que você está seguindo adiante, finalmente?! Espero, de coração!

Fique bem, linda!
Beijos...

Bandys disse...

Escolhas...
ser feliz ou viver nas lembranças

de um passado que voce não muda so

pode mudar o futuro..



beijos!

Bandys disse...

ser ou não se feliz??

Beijos

escolhas,
escolher

passado não muda só futuro!

Nanda ~εϊз disse...

Chorei com sua carta... Acho que é pq estou prestes a terminar com meu namorado...
Sabe quando, por mais que os dois se amem, vc percebe que não vai dar certo... Que os dois não serão felizes, mesmo tendo amor de ambos os lados?
Como é difícil pensar em ficar sem ele... Estamos a mais de 4 anos juntos... Isso pesa muito!
Chorei com sua carta pq me vi em suas palavras... Era como se eu fosse a autora dessa carta!
Nossa... Me dói só de pensar nisso!
Mas, mesmo que seja dolorido... Há coisas certas que precisam ser feitas! Melhor ficar uns meses tristes,do que o resto da vida me lamentando!
(desculpe o desabafo! rss)
Beijinhus!
Nanda